Classificação dos EPI’s

O uso de EPI é obrigatório e fundamental para a segurança do trabalhador.

Estes itens são responsáveis pela prevenção de acidentes bem como fornecimento de segurança a riscos que poderão existir, que colocam em cheque a integridade física e a saúde do colaborador.

O EPI usado será definido de acordo com a atividade exercida pelo trabalhador, levando em conta os riscos ao qual estará sujeito conforme a parte do corpo que será exposta.

O uso dos equipamentos de proteção é obrigatório em ambientes insalubres, ou seja, um local onde as condições fazem mal a saúde do colaborador, estes ambientes podem conter:

  • Ruídos constantes;
  • Exposição aos agentes químico-biológicos;
  • Excesso de calor;
  • Radiações;
  • Vibrações;
  • Etc.

Em resumo, estes são alguns dos tipos de EPI’s mais usados, suas funções e o porquê são tão importantes.

Protetores respiratórios

São compostos por máscaras, filtros e respiradores, a fim de proteger as vias respiratórias do utilitário contra a inalação de qualquer coisa que possa entrar em suas vias, podendo ser contaminantes atmosféricos ou agentes químicos.

Portanto consistem em proteger o usuário contra névoas, poeiras, gases, substancias alérgicas, irritantes ou tóxicas presentes no ar.

Em suma, são fabricados com uma peça que cobre o nariz e a boca; alguns são utilizados em casos de deficiência de oxigênio.

Exemplos de EPI’s respiratórios:

  • Respirador purificador de ar;
  • Respirador de adução de ar (máscara autônoma).

Protetores auditivos

Igualmente chamados de abafadores de ruídos, os protetores auriculares são próprios para a proteger a audição do trabalhador contra ruídos intensos e/ou constantes.

Os modelos existentes destes protetores são os de concha e os internos. Sua classificação é feita de acordo com a taxa de atenuação de ruídos, que variam de 15 a 21Db (decibéis).

Protetores de membros superiores

As mãos são as mais vulneráveis partes do corpo, pois estão sempre expostas a riscos. Em virtude de protegê-las podem ser utilizados os seguintes equipamentos: luvas, dedeiras, mangas e braçadeiras.

Os próximos itens protegem não só as mãos, como também os braços:

  • Luva isolante de borracha:
    Próprio para trabalhos onde há constante contato com circuitos energizados. Sobretudo busca assegurar mãos e braços contra choques.
  • Luva de raspa:
    É muito resistente em virtude de ser confeccionada em raspa de couro.
    Possui a missão de proteger contra pingos de solda, abrasivos, agentes escoriantes e perfurações.
    Podem ser utilizadas em funilarias, carpintarias, montagens de estruturas metálicas etc.
  • Luva de proteção em vaqueta:
    Mais utilizadas a fim de proteger contra materiais abrasivos. Recomendada para trabalhos de mineração, carga e descarga e manutenções gerais.

(Saiba mais sobre luvas de vaqueta e de raspa clicando AQUI)

  • Luva em borracha nitrila:
    Recomendado para proteção de mãos e punhos contra produtos químicos e biológicos assim como solventes orgânicos, ácidos, graxas e óleos)
  • Luva em PVC:
    Presença comum em muitos setores industriais.
    Usado para proteção em reservatórios que que possam conter agentes ácidos.

Protetores de membros inferiores

O trabalhador precisa ter seus pés e suas pernas igualmente protegidas, caso a função exercida apresente riscos.

Assim sendo, estes são alguns dos tipos de EPI para esta área do corpo:

  • Botina de segurança:
    Protege contra queda de objetos, perfurações causadas por pregos e queda por causa de chão escorregadio.
  • Botas de couro cano médio:
    Protege o usuário de arranhões, deslizes, torções, umidade e derrapagens.
  • Botas de couro cano longo:
    Evita torções, umidade, derrapagem e contra investidas de animais peçonhentos.
  • Botas de borracha:
    Assegura contra ação de agentes químicos e produtos agressivos.
  • Perneira de segurança:
    Protege contra objetos cortantes e ataques de animais peçonhentos.

Portanto, para que os colaboradores utilizem corretamente o EPI, a empresa precisa dar o treinamento adequado e o equipamento certo.

Veja AQUI o que pode acontecer com empresas que não fornecem EPI.

Conheça também sobre as NRs e veja porquê obedecê-las.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário logo abaixo e compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta